Páginas

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Tradicionalismo x Neopaganismo

Senti a ‘necessidade’ de escrever esse post quando, semana passada, estava conversando com uma pessoa. Ele queria dicas de como nós da Stregoneria fazíamos para abrir circulo e invocar os elementais. Quando respondi a ele que não fazia idéia do que ele estava falando em disse que eu não poderia o ajudar e me bloqueou (atitude bem adulta, hahaha).
Antes de prosseguir deixo CLARO que o que escrevo è referente a minhas praticas, de cunho familiar. Caso algum Stregonesco não veja nenhum sentindo em tais palavras jà sabe o porque ^^.
Tenho muitos amigos Pagãos, e uma coisa que nunca consegui entender o ‘porque’ foi essa coisa de Abertura de Circulo Ritual. Já li sobre, já presenciei, já até o fiz, mas mesmo assim é algo que não consigo entender.
Para mim todos os lugares são sagrados, pois todos fazem parte do corpo Divino, logo não encontro uma explicação plausível para a criação de um espaço sagrado.
Comemoro meu calendário e minhas festas como se eu estive comemorando um ‘Natal’ por exemplo. Acordo feliz, faço os preparativos para a festa e recebo todos meus convidado (físicos ou não) de braços abertos, e toda a minha casa acaba virando um salão de festas.
Essas coisas de abrir circulo, instrumentos ritualísticos, vestimentas rituais é algo muito moderno neopagao.
O que vocês chamam de instrumentos para mim são ferramentas que uso não só para rituais, mas para tudo no dia a dia, como o tal athame.
Na Stregoneria de cunho Tradicional familiar a coisa se desenvolve normalmente, pois a magia para nós è algo normal, que se vive todos os dias...seja no varrer uma casa, cozinhar um frango ou lavar a roupa suja. Da hora que acordamos até a hora que vamos dormir, tudo faz parte de nossas praticas, mesmo as coisas mais banais como limpar a caca do cachorro.
Eu acho que não podemos fazer separações de vida civil e vida mágica, somos uma pessoa só e para estarmos alinhados aos nossos Ancestrais e Deuses temos que vivenciar eles cada segundo.
No começo è meio difícil ter essa visão, mas com o tempo tudo fica tão inconsciente. Um dia você acorda e (do nada) deixa uma xícara de café na mesa para aquele seu tio que se foi e adorava um café pela manha.
E’ ai, nesses momentos incoscientes, que começamos a receber os ‘Insights’. Inspirações do Divino e ensinamentos, e temos que estar abertos e ‘ligados’ para essas coisas.
Uma dica que dou a vocês que querem seguir o caminho Stregonesco: SE ABRAM! Esqueçam o que lêem nos livros e fiquem atentos ao dia a dia, conversem com teus Antenati, agradeça pelo dia que viveu, deizem eles fazerem parte de suas vidas!
Grande Beijo!

"Grazie Antenati, per tutto quello che ho vissuto...e tutto quello che ancora devo imparare!"

6 comentários:

  1. ADOREI!

    Olha tem um monte de coisas que faço e dizem que "faço errado", rs, mas faço e continua dando certo e é isso que me importa.

    Concordo com o lance do dia mágico começar logo pela manhã e não só no momento de festejar determinada data mágica, tipo, o rito é pra acontecer a noite e só nesse horário eu fico mágica, entende?

    Mas algumas coisas pra mim são especiais e separadas, principalmente nas datas mágicas, tem potes, roupas, decoração que só uso pra essa finalidade especial, como qualquer pessoa que se arruma pra determinada festa com a roupixa especial; mas nem por isso deixo de ser bruxa nas outras 24 hs.

    Acredito que a magia, não se representa somente no calendário, mas no dia a dia, nas 24 hs e como humanos, temos nossos altos e baixos mágicos tb, tem dia que estamos com a antena ligada, noutros, nem os deuses berrando no ouvido, escutamos, hahaha.

    Eu percebo é que se as pessoas fossem mais "flexíveis" com seu lado mágico, perceberiam que ele funciona bem pra todos os gostos.

    ResponderExcluir
  2. Tmb não pratico "aberturas nem fechaduras"... Vejo o Sagrado em tudo e em todos...
    Meus dias e fazeres são mto mto similares aos teus...
    Ky e eu compartimos esse fazer e ser... apenas diferimos nos Deuses que temos como eixo.

    Eu vivencio o que é entendido como magia, como mágico do instante em que acordo ao que deito... e assim todos os meus, e os meus são os daqui, os dali...

    Sou uma Bruxa... feliz!

    Los Dioses que en mí habitan saludan a los que ven en ti!

    ResponderExcluir
  3. Muito bem exposto... muito bem postado, uma explicação que é a minha... é a minha teoria do porque do circulos, por que da cerimonia, das velas..etc.Meios de fazer magia existem varios, mesmo magia sendo uma soh... entao o ponto forte de todo praticande, seja ele do hermetismo, alta magia, goetia, enochiana, strogeneria, teurgia, wicca, etc. É nada mais a vontade, não existe magia sem vontade, isso que predomina na hora de fazer um rito, de limpar a casa, ou de citar chaves, cada um faz que sua vontade sobre aquilo ser real seja maior, alguns necessitam de um circulo de proteção riscado e visivel, outros simplesmente o criam pela mente, outros citam algumas palavras e esta feito... logo tudo depende disso... do que magia é...vontade aplicada, o que não possamos esquecer é obvio, existem regras astrais como existem regras fisicas... e dessas deve-se saber e entender se quiser lidar com diversos meios, tudo é vontade!

    ResponderExcluir
  4. Adorei, parabéns!

    Quando comecei á praticar magia - e não apenas ler - embora depois agente percebe que sempre praticou desde menina, neh? (=D)- eu fazia msm tudo direitinho e acho que isso me ajudou á ir me concentrando, separando as energias, deixando coisas "para fora do círculo"... Mas com o tempo vi que isso tudo é apenas uma forma de concentrar energia, msm, e ás vezes precisamos fazer magia em um local onde não dá para abrir círculos e tal, como no ônibus, na faculdade, quando faço pães e bolos na cozinha da minha mamma...

    Aí aprendi que posso sim ou não usar círculos, afinal, como vc disse, todo o espaço é sagrado!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho um pensamento...
    É claro que o que a gente, e vou dizer aqui streghe, pq é o nosso caminho, faz é um caminho renovado, afinal de contas, muitas coisas aconteceram sobre o antigo paganismo que era praticado pelos nossos ancestrais. Porém o que eu sinto e o que eu vejo na Stregoneria é que o fluir da magia e da espiritualidade acontece pq nossos ancestrais eram um povo assim, de magia, de comida, de comunidade, de espiritualidade. Pode ser que tome um cunho católico em algum tempo, mas o quanto mais formos limpando e pesquisando, vamos encontrando nossas raízes, o cerne do que os nossos ancestrais faziam.

    Acho sinceramente que, para fazer a magia de um povo é preciso conhecer profundamente um povo.

    ResponderExcluir
  6. Pessoal, posso dar cá meu pitaco?
    Bruxaria para mim é êxtase. Um êxtase que apreendi (relembrei?) lendo Laurie Cabot e Lois Bourne, em especial. Um êxtase que as vezes me toma quando eu estou tocando violão. E, claro, quando eu acendo minhas velas também.
    Para mim, espaço sagrado é o corpo de energia que emanamos quando estamos em êxtase - leia-se, em contato com o Ser. Se para isso precisamos de separar um espaço com uma linha... Tudo bem por mim.
    E eu realmente, por vezes, vi o efeito positivo dessa linha...
    Abraços!!!

    ResponderExcluir