Páginas

terça-feira, 15 de março de 2011

Hereditariedade Stregonesca..

Eu sei que existem milhares de textos na internet falando sobre Stregas e hereditariedade, mas isso parece qua ainda è um tabu para alguns e para outros motivo de briga.
Eu venho aqui dividir o que EU sei e o que EU penso, independente do que voce, leitor, possa acreditar ou aceitar.

Pessoas sempre me dizem "Eu adoro a Stregoneria, adoraria fazer parte dela, mas infelizmente nao tenho sangue italiano!", e eu (as vezes nao muito educada) pergunto "E dai que nao tens sangue italiano?"
Vou deixar claro gente, sou uma Strega adotada! Sou filha de Nordestina com Portugues, meu sangue tem apenas poucas gostas italicas e me sinto tao Strega como qualquer outra pessoa que tem sangue 100% italiano.

Amo meu sangue portugues (que explica o porque sou um tanto burrinha as vezes hihihi) e principalmente minha parte nordestina que faz meu sangue ferver de emoçao e carinho.
A Stregoneria pra mim foi ensinada por uma senhorinha (linda) là da Sardegna, que me acolheu de braços abertos sem preconceito se eu era ou nao italiana.

O que quero dizer as pessoas è que a Stregoneria é mais um estilo de 'bruxaria' do que uma egrégora unica. O que faz voce ser Strega é o teu modo de pensar, modo de agir perante certas situaçoes, a importancia que da a tua casa e familia e principalmente a importancia que da a tua ancestralidade! Pois ninguem NUNCA sera uma Strega cultuando ancestrais italicos sendo que teu sangue è totalmente africando...se fosse assim nao existiria o Helenismo, afinal é de terras gregas. Siga o modo de vida de uma Strega mas nunca desmereça tua verdadeira ancestralidade e (melhor ainda) nunca se envergonhe dela.

Essa coisa de heriditariedade existe? Claro que sim! Digo atè que algumas coisas da familia da senhorinha Sardegneta nao funcionam comigo por eu nao ter o sangue dela, mas isso nunca me atrapalhou. Alias, se voces soubessem o quanto è bom e magico ter mais de uma hereditariedade, minha avò materna era uma SUPER Strega, sem saber e sem ter ido pra fora do Brasil.

Eu digo, com o maior orgulho do mundo: Sou uma strega Calanga, que cultua os Deuses antigos italicos, que queimar um mal olhado, acalmar uma dor de cabeça e adora seus segredinhos culinarios...Que reverencia seus ancestrais Nordestinos/portugueses/ italicos e sou muito feliz por ser quem eu sou!

Entao, antes de dizer "Eu nao posso ser isso" que tal estudar e ver que a Stregoneria è algo bem mais que apenas hereditariedade?

11 comentários:

  1. Adorei!
    Mesmo pq tem de ficar cada vez mais claro que somos: pessoas diferentes e sim, somos filhos, netos ou bisnetos de imigrantes... não tem jeito... é assim que o nosso país se formou e se nós, os descendentes não cuidarmos das tradições, inclusive aceitando e juntando as que são daqui, somos meio streghe... ponto final.

    ResponderExcluir
  2. Pois è Pi, e foi assim que a italia tbm se formou: imigrandes de toda a parte da europa que formou a peninsola italica. Um italiano do norte nao è o mesmo de um do sul...
    Eu sempre digo para as pessoas que a Italia è um Brasil com bandeira diferente..rsrsrs

    ResponderExcluir
  3. O que aprendi nesses anos é que não é obrigatório ter parente italiano no sangue pra se nomear strega, senão pra cultuar Odim eu teria que catar um nórdico nas veias, ou pra falar com Zeus achar um pingo de Grego em mim.

    Mas sei que o local influencia tudo, quem mora na Itália vai ter mais facilidade pra magia strega, assim como no Brasil pra quem cultua a Pajelança, é a coisa da energia do ar, dos produtos específicos, etc e tal.

    Tenho parente italiano, sei das simpatias de minha vó e vô, uso como quem usa qualquer simpatia familiar, mas não me nomeio como Strega "legítima".

    A confusão eu vejo mais por conta da "linhagem sagrada comercial" do que qualquer outra coisa, a mania de achar algo pra se dizer superior e ganhar fiéis com isso.

    ResponderExcluir
  4. A Sabina Magliocco postou no Facebook dela um artigo ótimo falando dos 150 anos da Itália como uma república unificada... acho que isso por si fala mt... o país é o país como conhecemos hj faz mt pouco tempo... E essa junção se fez como as correntes imigratórias e migratórias se fizeram aqui...

    ResponderExcluir
  5. Isso vc tem razao Ky..como jà disse uma vez qndo eu piso em terras italicas è como se algo me disse-se "Bem vinda ao lar!"

    Foi como vc falou, parece que esta no ar mesmo..tdo muda, vc esquece da onde veio..

    Sò indo là mesmo para saber como è..

    ResponderExcluir
  6. Os avós paternos do meu pai vieram de lá, meu sobre-nome foi "corrompido" pelos processos da imigração no Equador, não sou em base Onofre, mas sim D'Onofrio.

    Há mais no que havia antes de mim? Há, a família da minha avô materna lá longe, bem longe é oriunda da Romênia, são/somos de sobre-nome Romo, q depois migrou para a Espanha e depois, bem depois chegou ao Equador...
    Daí meu lado beeem cigano, de até achar natural aceitar criança rejeitada em ponto de ônibus para que eu criasse, [meu marido medroso disse não na época]...
    Isso "apenas" por parte de pai.

    Sou uma Strega? não posso como diz Ky me dizer assim, mas há algo de tudo o que veio de lá, aqui em casa. Coisa que ela mesma pode asseverar ahahahaha!

    Quanto a credo, eu tenho meus deuses romanos, meus celtíberos, e minha amada Sarah Kali...

    Em suma amei o texto por que joga rio abaixo as teses ortodoxas do "cadê seu pergaminho oficial de nomeação como Bruxa autêntica?"

    =)

    ResponderExcluir
  7. é tao bom ter tantas misturas no sangue, nè Lu? ^^

    Mas isso mesmo como vc disse, um pessoa pode atè ter sangue italiano e parentes Stregones, mas vai da pessoa querer ser ou nao, dai è como disse a Pietra "uma coisa de dom, um talento".

    Cada Bruxa è uma bruxa unica, a tua forma! Pode ser familiar, solitaria, estudante..enfim..cada um è cada um! =D

    ResponderExcluir
  8. Olá meninas!

    Concordo em gênero, número e grau com o que disseram. Acho que é uma quesão interessante de ser tratada, bem como os conceitos de Ancestralidade e Hereditariedade que não estão, obrigatória e necessariamente, ligados ao "sangue" ou à "família física" - ainda que seja evidente que elementos como esses são fundamentais para nosso resgate e /ou construção de ritos, práticas e até mesmo de crenças.

    Hera, boas palavras.

    Bênçãos dos que vieram antes de nós.

    ResponderExcluir
  9. Amei o Texto , ehehe , O que disser né , no teu caso é portugues , nordestino e italiano , bem meu é nordestino , italiano , espanhol , portugues e africano , magina tanta ancestralidade junta numa criatura só , de apenas 17 anos , vishi lembro da ultima vez que abri minha bela boca pra falar sobre meus ancestrais , sobre os Antigos , sobre mitologia , Passei uma duas oras falando pra minha turma , que são pessoas bem mais velhas que ficaram passadas com o tanto de dedicação e amor , ao qual eu dedico aos Meus queridos Ancestrais e antepassados.

    Não tenho , super nona strega assumida , que me passe , toda a historia do meu bochesto , melhor ainda , é melhor ficar atras da porta ouvindo as conversas da tia e avó , á falarem sobre seus sonhos , seus presságios e enquanto trocam suas receitas , seus ritos , suas praticas , eu fico aca ouvindo e aprendendo tudo ;

    A Inúmeras formas de se absorver conhecimento , a inúmeras formas de compreender algo , mas é somente com esforço , vontade e dedicação que conseguimos alguma coisa , alias no minimo uma lamina de um conhecimento milenar que é guardado a sete chaves ; Sete chaves ?

    strigle canidius.

    ResponderExcluir
  10. Strigles, vc è de sorte!!!

    Ter ancestralidades è realmente uma coisa linda, e tendo tantas juntas è uma sorte e tanto!!

    ResponderExcluir
  11. Hera , Oh e como , mas pensa comigo ; O meu lado italiano da historia , eu tenho tensões , são agricultores , tenho mal relação com meu pai biologico, alias esse lado da familia eu não vivencio muito bem sabe = / lembro de uma vez ter passado uma situação muito chata com minha avó paterna , mas esta já se foi para o eterno e delá ela eu sei me guia , me ajuda , me aconselha , acho que o muitos esquecem de ver ,enchergar , é o perdão , meu é complicado voce ter problemas familiares eu sei que é , mas devemos ver seus erros e lembrar que ali , é onde eu começo a corrigir os meus traços , noss erros deles , lembrando do perdão , lembrar que passar uma borracha não dá , mas uma boa limpeza dá . Enfim gente , eu não levo a magoa , alias eu to numa passagem de aprender a deixar ir , a dor , o sofrimento , as lagrimas..Que o fogo divino , possa então mais uma vez me transformar , que Hefestos tão belo , com sua forja me forje como um novo ser , um novo ferreira nesta terra !

    Uma boa tarde pra todos ! Striglae.

    ResponderExcluir